Tony-Andrews

Entrevista Tony Andrews

  |   Curiosidades   |   1 Comentário

Tony Andrews é um designer de renome no meio acústico, proprietário e fundador da talvez mais famosa fabricante de sistemas de som para Dance Music. A empresa tem influenciado a música eletrônica mundial de inúmeras maneiras, com sua tecnologia inovadora, excelente qualidade de som e um enorme grave. Na entrevista, Tony fala como o grave excita os seres humanos, como configurar os alto-falantes e erros extremamente simples que os DJs poderão evitar.

Quão importante é o grave para a Dance Music?

A Dance Music não seria tão bem sucedida sem o grave. Se você pensar sobre isso, nós realmente só tínhamos amplificado o grave por cerca de 50 anos. Graves pesados são na verdade algo novo. Antes da invenção dos alto-falantes que produziam frequências realmente graves, os seres humanos só se deparavam com frequências extremamente baixas com os trovões, terremotos, ou em explosões causadas por dinamite ou pólvora. Provavelmente por isso que os graves induzem maiores adrenalina. Os graves excitam os seres humanos. Abaixo de 90 ou 100 Hz, o grave torna-se mais do que uma coisa física. Ela vibra os órgãos. Ela vibra nossos ossos. A vibração molecular causada pelo grave é o que dá a Dance Music o seu poder. É o que faz a Dance Music tão agradável de ouvir através de um sistema de som adequado.

Como é que o grave causa prazer?

O universo é baseado em vibrações e harmônicas. Interação vibracional complexa é a base a partir da qual o plano físico emerge. Os seres humanos são muito sensíveis a vibrações, mesmo não conseguindo tocar, apenas sentindo. Sabemos quando algo não está em sintonia, porque nos sentimos mal. Quando a música vibra em uma frequência que gostamos, nos dá prazer. As frequências que causam prazer não são as mesmas frequências para todos, e é por isso que algumas pessoas amam algumas músicas, e outras não. Nós somos todos diferentes em formas e tamanhos, e isso significa que os órgãos vibram em frequências ligeiramente diferentes para cada um. Os nossos chakras também não são idênticos. Eu poderia falar sobre isso por um longo tempo, mas o fato é que isto é quase como nossa compreensão do universo, e, nesse sentido, estamos ainda tão jovem.

Então o grave causa prazer nos seres humanos e pode liberar dopamina. Se for esse o caso, existe alguma problema como o excesso de grave?

Sim, você pode ter muito grave. Você pode ter muito som em geral. Um bom engenheiro acústico irá entender que existe um limite entre o som suficiente para dar emoção e o excessivo que é prejudicial. Muito som e muito grave não é apenas desconfortável para os ouvidos, pode ser letal. Havia um francês na virada do século 20, que construiu um apito gigante que produziu frequências sub-graves com cerca de 7,1 ou 7,2 Hz. A primeira vez que ele conseguiu fazer funcionar, ele liquidou-se a si mesmo. Pobre francês.

Talvez tenha sido o único homem morto por sub-graves?

Sim, provavelmente. Sub-grave real é qualquer som geralmente inferior a 25 Hz, um som realmente profundo, que você pode conseguir com varreduras em um oscilador. Sub-grave pode ser um belo som, mas a maioria dos sistemas de som geralmente não são capazes de alcançar muito abaixo de 30 Hz.

Como você se envolveu na construção de sistemas de som?

Eu estive envolvido no desenvolvimento de sistemas de som durante os últimos 45 anos. Nos primeiros dias, era tudo uma grande experiência. Meu irmão e eu estávamos em torno de 19 ou 20 anos, e fomos crescendo com a construção de nossos próprios sistemas de som. Um dia meu irmão colocou um alto-falante no canto de uma sala e notei que o grave subiu dramaticamente. Foi uma observação casual que eu achei interessante. Então, eu experimentei fazer caixas que pareciam o canto de uma sala e coloquei um gabinete duplo de 18 polegadas dentro, o que tornou-se mais tarde um “folded horn”. Chamamos um baixista para testar o alto-falante e o gesso caiu do teto, foi incrível. Esse foi realmente o início de meus esforços com alto-falantes. Um dos primeiros sistemas de som que construímos foi para um concerto no Estádio de Wembley, em 1974. Nós construímos pilhas de caixas de grave em forma de pirâmide. Por um tempo, estávamos obcecados por pirâmides e o poder da sua forma para produzir graves. É engraçado, mas quando penso nestas caixas percebo que não eram tão boas e que existem várias formas para melhora-la, nós percorremos um longo caminho em termos de conhecimento de som.

Você acha que estamos perto de construir o sistema de som perfeito?

Nós nunca vamos conseguir um sistema de som perfeito. A não ser que possamos ionizar o ar com aquecimento de 20.000 graus, modulando diretamente o plasma, usando campos magnéticos. Até que isso aconteça, sistemas de som continuarão a ser tão imperfeitos como o mundo em que vivemos.

Como você ajusta um sistema de som para torná-lo um bom som?

A primeira coisa que faço é olhar para o midrange. Está tudo lá? A melhor maneira de descobrir isso é através de uma voz humana conhecida. Eu conheço muitos cantores (Homens e Mulheres) e sempre uso como referência ao ajustar um sistema de som. A voz feminina me diz se tem alguma coisa acontecendo nos médios altos.

Depois de ter os midranges funcionando, qual o próximo passo?

Eu começo trazendo as altas frequências até que estejam todas lá, mas garantindo que elas não inundem os médios e vice-versa. É tudo uma questão de equilíbrio. Isso é o que ajustes de sistemas de som significam: equilíbrio. Então, uma vez que temos o equilíbrio certo entre os altos e médios, começamos a trabalhar com os graves, mais uma vez o equilíbrio entre os três. Nesse ponto, como testes, podemos mudar para músicas que destaquem o contra-baixo. Eu não costumo testar sistemas de som com músicas eletrônicas até que eu esteja feliz com o equilíbrio em todas as frequências. Então, finalmente , quando eu estou feliz com o equilíbrio global, testo a resposta global de graves.

Você poderia compartilhar um pouco da sabedoria com a gente sobre a importância do ajuste do misturador de DJ no nível correto de decibéis?

Bem, este é um assunto que nunca irá acabar. Fabricantes de mixers tentaram torná-lo o mais simples possível para DJs. Misturadores sempre tem um sistema simples de luzes. Verde, laranja e vermelho. Ainda hoje muitos DJs famosos ignoram completamente estes sistemas. Verde significa que o som está funcionando bem, laranja significa que você está chegando perto da distorção, e vermelho significa que você está “clipando” a saída do mixer. Quanto mais simples pode ser? DJs que chegam no vermelho são incrivelmente ignorantes. De certa forma é insano, porque os engenheiros de som como eu tem feito todo esse trabalho cuidadoso para chegar o mais perto da perfeição em uma boate, e então algumas pessoas desinformadas vão até lá e atingem o vermelho.

Por que atingir o vermelho é uma coisa tão ruim?

Os componentes eletrônicos podem lidar com muita potência, ao ultrapassar esses limites se tornam saturados e produzem distorções em vez de som limpo e linear. Se você executá-lo no vermelho, possivelmente irá deixar de funcionar. Portanto, a fim de proteger sistemas de som caros, praticamente todas as danceterias do mundo colocam limitadores em seus sistemas de som. Assim, enquanto o DJ pensa: “Vamos bombar atingindo o vermelho”, na realidade, não haverá qualquer aumento de som na pista de dança porque os limitadores vão impedir que isso aconteça. Tudo o que você está realmente fazendo quando empurra um misturador para o vermelho é distorcer a música e insultar as pessoas que nos ali estão. Pequenas distorções podem ser bastante agradáveis, um pouco, como pequenas doses de veneno. Jimi Hendrix tinha isso. Mas quando todo um sistema de som distorce? Isso é perturbador para os ouvidos, para a mente e pode forçar fisicamente as pessoas a fugir dela, ou seja , a distorção ao longo do tempo irá limpar uma pista de dança.

Como você faria para ajustar um sistema de som em um quarto?

A primeira coisa que eu faria seria trabalhar o melhor local para os alto-falantes. Tente diferentes distâncias e paredes se puder, a altura é importante também. A maioria das caixas terá um tweeter e um woofer. Quando você configurar os alto-falantes, se eles estão acima de você, o tweeter vai chegar mais tarde do que o woofer, e vice-versa. Você deve tentar posicionar os alto-falantes na altura dos olhos e ouvido. O espaço entre o tweeter e o woofer deve ser bem no meio de seus olhos, de preferência, de forma que as frequências do woofer e do tweeter cheguem ao mesmo tempo. Uma vez que você tenha escolhido o local para as caixas, coloque um cobertor no teto logo acima de onde você os posicionou, e se há uma parede ao seu lado, coloque um cobertor sobre ela também. Isso vai diminuir quaisquer reflexões que deseja eliminar. Você só quer ouvir o som dos alto-falantes e não os reflexos das paredes. Finalmente, certifique-se que você não tenha colocado os alto-falantes em um local que inibe os graves. Isso pode acontecer muito facilmente. A sala é apenas uma grande caixa acústica e se você tem o grave no lugar errado, você poderá cancelá-lo.

Fonte: http://www.djtechtools.com

1Comentário
  • Fabio Nobrega | jun 3, 2015 at 21:02

    Interessante. Palavras de um especialista.

Postar um Comentário

Tempo expirado.